Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







20 de fev de 2015

1º TRIMESTRE DE 2015 - LIÇÃO Nº 08 - 22.03.2015 - "NÃO MATARÁS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 08 - DATA: 22/02/2015 
TÍTULO: “NÃO MATARÁS"
TEXTO ÁUREO – Ex 23.7
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Ex 20.13; Nm 35.16-25
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO







I - INTRODUÇÃO:



O Objetivo da lei de Deus, no Sexto Mandamento, é a preservação da vida e, mais do que isso, da honra à vida. Desprezá-la constitui-se em desprezar o próprio Deus.




II - A PALAVRA "MATAR":



A palavra hebraica que foi traduzida por MATAR é RASAH, que NORMALMENTE INDICA O ASSASSINATO VIOLENTO DE UM INIMIGO PESSOAL.



No entendimento de Moisés e do povo de Israel de seu tempo, este mandamento significava uma proibição geral, EXCLUINDO a morte acidental, a causada em legítima defesa e a morte em guerra defensiva; caso contrário, não teria o próprio Senhor incluído na lei, logo a seguir aos Dez Mandamentos, a pena de morte para vários casos (Ex 21:12). O Sexto Mandamento, portanto, não atinge, em proibição, nem a pena de morte, nem a legítima defesa, nem a morte na guerra defensiva e nem a morte acidental. Ele proíbe o assassinato. Do contrário, a aplicação da pena capital, bem como a morte de um inimigo em guerra defensiva, seriam contrários à lei.



O Sexto Mandamento é a expressão divina do respeito à vida humana. Deus castigou severamente Caim porque ele assassinara seu irmão Abel; destruiu a humanidade pelo dilúvio porque a terra havia se enchido de violência; e proibiu o derramamento de sangue no pacto que fez com Noé logo após o dilúvio, tendo instituído a pena capital (pena de morte) para quem quebrasse a proibição (Gn 6:13; 9:6). Neste caso, o Senhor  acrescentou a razão da proibição.



Jesus colocou para nós o Sexto Mandamento na clara luz da Sua verdade penetrante (Mt 5:21-22 cf I Jo 3:15) - Ira e assassinato são a mesma coisa diante de Deus: uma é a raiz, outro é o fruto. Assim, Jesus revelou que o crime de morte é apenas a exteriorização do pecado básico e mais amplo, que consiste em total desprezo e ódio que uma pessoa mantenha em seu coração contra o próximo.



Desprezar um semelhante a ponto de julgá-lo e desejar sua morte, considerar alguém desprezível, não merecedor de viver, já é, no coração do homem, a quebra do Sexto Mandamento.




III – A PALAVRA ABORTO:



Duas definições:



(1) - É assassínio da vida não nascida, e isso, em qualquer caso, A PARTIR DO MOMENTO DA CONCEPÇÃO ou DA GESTAÇÃO;



(2) - Expulsão do embrião antes de que ele seja capaz de sobrevida extra-uterina, ou seja, dentro das vinte primeiras semanas da gravidez.




IV - DO PONTO DE VISTA BÍBLICO, O ABORTO É ASSASSINATO DE UMA VIDA JÁ INICIADA E UMA VIOLAÇÃO DO SEXTO MANDAMENTO: NÃO MATARÁS:



Aborto não é controle de natalidade; ele mata uma vida que já começou. Isso porque Deus já planejou a vida do ser humano antes da concepção (Sl 139:13-16) e tem a vida de cada um de nós contada (Jó 14:1, 5)



Nas Escrituras Sagradas, o ser humano é descrito como formado pelas mãos de Deus desde o ventre (Jó 10:8-13; 31:15; 33:4, 6; 35:10; Sl 22:9-10; 33:13-15; 71:5-6; 94:9; 127:3 - O FRUTO DO VENTRE É GALARDÃO DE DEUS - cf Lc 1:42; Is 44:2, 24; 49:1, 5; Jr 1:5; Zc 12:1)



Gn 4:1 - Eva considera o nascimento de seu filho como um dom de Deus. Mesmo agora que sabemos mais acerca da hereditariedade, o mistério da vida ainda continua com Deus. Cada nascimento é ainda um novo milagre do Senhor. Ele é a fonte de toda vida.



Ex 21:22-23 – A Palavra de Deus considera a vida de um feto como a vida de um adulto. Não temos aqui uma brecha para aceitar o aborto. Pelo contrário, a multa imposta a quem causasse um parto prematuro, tinha como objetivo auxiliar a mulher em suas dificuldades. Mas se do parto sobreviesse a morte, não se aceitaria reparação financeira; seria vida por vida. Demos notar que a palavra original hebraica empregada aqui é YATSA = SAIR ou DAR A LUZ – jamais tem o sentido de aborto voluntário.



Lc 1:36, 39-45 - Maria, mãe de Jesus, estava com, no máximo, um mês de gravidez quando foi Isabel;



Àquela altura, Jesus era uma “célula-ovo” de quatro semanas;



Isabel, mãe de João Batista, estava com seis meses de gestação (Lc 1:36) - Seu feto tinha vinte e quatro semanas.



Leiamos ainda - Ex 4; Jó 38.3-4; Jr 1.5; Is 44.28 – 45.1



No entanto, observemos o seguinte:



(1) - O “OVO” de quatro semanas foi chamado por Isabel de “SENHOR” (Lc 1:43);



(2) - O feto João Batista sentia aquilo que do exterior mantinha comunicação com a sua mãe (Lc 1:41);



(3) - O feto João Batista podia ficar cheio do Espírito Santo e ter profunda alegria interior (Lc 1:41, 44)



Logo, Deus nos conhece a substância ainda informe (Sl 139:16). Embriões sentem alegria ou depressão e são pessoas que já podem ter relação com Deus.



Jesus disse que do coração procedem os abortos, pois o aborto nada mais é do que um homicídio (Mt 15:19-20)




V - EUTANÁSIA:



Esse termo foi criado por Francis Bacon (1561 - 1626), filósofo inglês, e significa BOA MORTE ou MORTE FELIZ.



Em 1978 uma revista inglesa publicou um artigo em defesa da eutanásia para os velhos, através da PÍLULA DA MORTE ou PÍLULA NEGRA (expressão usada para qualquer remédio que cause a morte). Alegou a referida publicação que, em um futuro próximo, será necessário eliminar sumariamente todas as pessoas idosas ou consideradas inúteis.



No entanto, vejamos o que diz a Palavra de Deus (I Sm 2:6; Ex 4:10-12. Sl 71:4-18; 92:14-15) (Jó 2.1-10; 19.13-26; Jo 4.46-53; 5; 9.1-11, 16-17, 24, 32-38)



II Rs 8:7-15; Jó 2:7-10; Jo 5:1-15; 9 cf  Mt 5:21-22 - Por estas incisivas palavras, a Escritura Sagrada afirma a santidade da vida humana, que não deve, sequer, ser maltratada.



Leiamos: Sl 71.9, 17-18; Is 46.3-4; Dt 39-40.



VI - CONSIDERAÇÕES FINAIS:



Ex 20.13 - A vida pertence a Deus - Deus é o Criador e, por isso, o Senhor de toda a vida (Jo 5:26). Cada vida é preciosa para Deus, a vida do homem mais importante como a do menos importante, do saudável como a do doente, do talentoso como a do débil (Jó 14:1-5).

FONTES DE PESQUISA E CONSULTA:


Abrindo o Jogo Sobre o Aborto - Editora Betânia - Caio Fábio
Os Mitos da Educação Sexual - Editora Candeia - Josh McDowell
Serviço de Pesquisa da Enciclopédia Britânica - Título do Relatório: ABORTO
Revista Cláudia - Abril de 1997 - págs. 6/12
Evidências de Um Criador - CPAD - Abraão de Almeida
A Bíblia Apologética – ICP Editora