Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







21 de mai de 2015

2º TRIMESTRE DE 2015 - LIÇÃO Nº 08 - 24.05.2015 - "O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 08 - DATA: 24/05/2015
TÍTULO: “O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS"
TEXTO ÁUREO – Lc 8.25
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Lc 8.22-25, 35-39

PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/









I - INTRODUÇÃO:



Ao acalmar uma tempestade e libertar o homem de Gadara de uma legião de demônios, podemos observar o aspecto divino e humano de Jesus. Divino, porque Ele dá ordem à criação.



Embora achado na forma de homem, Jesus controlou a tempestade, revelando não apenas o seu lado divino, mas humano também. 




 II - JESUS ACALMA UMA TEMPESTADE:



As rajadas de vento que sobrevêm ao Lago da Galiléia são frequentemente súbitas e fortes. Quando isto aconteceu aos discípulos, eles devem ter posto em ação toda a sua perícia, e começaram a tirar a água do barco com todas as vasilhas que encontraram, o mais depressa possível, mas ainda assim as altas ondas e o vento o levaram às raias do desastre. E, onde estava Jesus? Lá atrás, na popa, dormindo, enquanto tudo aquilo acontecia!



Levantando-se, Jesus REPREENDEU O VENTO. Ele falou também ao mar: CALA-TE, AQUIETA-TE. Mais literalmente, embora menos suave, estas palavras poderiam ser assim traduzidas: “PARE COM ESSE BARULHO! SEJA COMO SE ESTIVESSE AMORDAÇADO!”



As palavras REPREENDEU e SEJA AMORDAÇADO são os mesmos verbos usados para descrever a expulsão de um demônio por Jesus (Mc 1:25). AO COMANDO DE JESUS, O VENTO CESSOU E A CALMA SE ESPALHOU SOBRE O MAR.



Mc 4:37 - O BARCO JÁ SE ENCHIA - Por certo esses marinheiros, acostumados às vicissitudes dos pescadores no mar da Galiléia, haviam feito tudo possível para salvar-se da grande tormenta. Haviam-se esforçado até o maior grau. Estavam face a face com seu sepultamento nas águas do mar.



Mc 4:38 - E ELE ESTAVA NA POPA - O barco, enquanto Jesus está a bordo, não pode ir a pique. A sarça ardendo em fogo, enquanto Deus está nela, não se consome. Se Cristo estiver no coração, a nossa vida nunca pode ir a pique, nem jamais se consumir: MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO (I Jo 4:4)



Mc 4:38 - DORMINDO SOBRE UMA ALMOFADA - Lê-se somente neste versículo da ocasião em que Cristo dormia. Estava repetidamente em vigílias, passando noites inteiras em oração a Deus. Dormia, porém, durante a tempestade. Dormia, não de falsa segurança como o desobediente Jonas na antiguidade, mas de santa paz, descansando nos braços do Pai (Cf At 12:4). O grande Servo, contente e exausto de servir o dia inteiro, descansava em sono profundo sem se acordar, apesar da grande violência da procela.



Mc 4:38 - MESTRE, NÃO SE TE DÁ QUE PEREÇAMOS? - Parece que foi mais um caso dos discípulos censurarem o Mestre do que Lhe suplicarem socorro. Descobre-se nisso, a familiaridade que gozavam com Ele e a grande liberdade que lhes concedia. Ao mesmo passo, achavam-se tão aflitos que mal sabiam o que diziam. Pensar que Cristo descuide, às vezes do Seu povo, é praticar-Lhe a maior injustiça. Como na ocasião dessa tempestade, nunca é de Sua vontade que pereça um dos mais pequeninos. Se clamarmos a Ele: “Mestre, não se te dá que pereçamos?”, Sua resposta para nós é a Sua humilhação, o Seu sofrimento e a Sua morte na cruz em nosso lugar.



Mc 4:38 - PEREÇAMOS - Foi uma oração fervorosa e sem formalismo. É somente quando percebemos o perigo iminente que estamos impelidos a orar verdadeiramente.



O primeiro passo para ser salvo é reconhecer que estamos perdidos. Igualmente, sem reconhecer o nosso perigo, a nossa necessidade, a nossa pobreza diante de Deus, não podemos orar; apenas repetimos nossas oração, não oramos.



Mc 4:39 - ELE, DESPERTANDO - Cristo parece estar domindo enquanto passamos grande provação? CONVÉM ACORDÁ-LO, CLAMANDO A ELE EM ORAÇÃO.



Mc 4:39 - REPREENDEU O VENTO - Jesus não reprovou o clamor dos angustiados, MAS REPREENDEU A CAUSA DE SUA ANGÚSTIA.



Mc 4:39 - E DISSE AO MAR - Moisés feriu as águas do Mar Vermelho com uma vara; Josué, feriu as águas do Rio Jordão com a arca da aliança; Eliseu com o manto do profeta Elias; MAS CRISTO O FEZ APENAS COM UMA PALAVRA.



Mc 4:39 - O VENTO SE AQUIETOU - Grande foi este milagre, feito por Aquele que trouxera o grande dilúvio sobre a terra no tempo de Noé, o Mesmo que abrira as águas do mar Vermelho, que dividira o rio Jordão e que trouxera nuvens de gafanhotos, no Egito, por meio de um grande vento.



Mc 4:39 - HOUVE GRANDE BONANÇA - Não somente cessou o vento, mas desapareceram imediatamente as ondas. A bonança que Cristo nos traz é muito maior do que a tempestade de pecado que nos perturba.



Mc 4:40 - POR QUE SOIS TÃO TÍMIDOS? - Observe-se que Cristo não censurou os discípulos porque O incomodaram, mas porque se incomodaram a si mesmos, temendo a fúria da tempestade.



CRISTO ESTÁ À BORDO DO BARCO DO NOSSO CORAÇÃO! LOGO, QUANDO CRISTO ESTÁ Á BORDO, O BARCO NÃO PODE AFUNDAR!



Mc 4:40 - ONDE ESTÁ A VOSSA FÉ? - Os pecadores temem. Os marinheiros pagãos tremem. Mas, vós, discípulos de Jesus, POR QUE SOIS TÃO TÍMIDOS?



Mc 4:41 - E SENTIRAM UM GRANDE TEMOR - Enquanto a tempestade rugia, temiam mais a tempestade do que a Cristo, clamando: MESTRE, NÃO SE TE DÁ QUE PEREÇAMOS? Mas ao ver a maneira de o vento e o mar obedecerem a Sua voz, temiam o Senhor mais do que temeram a tempestade. Tremiam na presença de Um que ATÉ O VENTO E O MAR LHE OBEDECEM  -  “E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e Ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas, Eu Sou o Primeiro e o Último” - Apc 1:17



Andar com Jesus à bordo não é garantia de não haver borrasca;



Tempestade não é prova de que estamos desagradando a Deus; tudo está inteiramente nas mãos do Salvador. Ele queria mostrar aos discípulos que, ao levantar-se outro temporal, não deviam temer, porque Ele sabe e pode acalmar o mar e o vento - Is 43:2; Sl 107:29-30.




III - O PODER DE JESUS SOBRE OS DEMÔNIOS:



Leiamos Mc 5.1-20 - O amor é a maior força no céu, na terra e no inferno. Na libertação o endemoninhado gadareno encontramos um exemplo penetrante do poder divino que opera por amor - Jo 3.16.



Mc 5.7 - QUE TENHO EU CONTIGO, JESUS... - Os demônios reconhecem que Jesus tem autoridade para julgar os homens e os anjos. Os que vivem no pecado odeiam a santidade de Deus. Não querem  Cristo e temem ser atormentados por Ele. Para muitos não há esperança no Filho de Deus.



LEGIÃO - Mc 5.9 - Uma legião entre os romanos consistia de dois mil soldados. O endemoninhado gadareno era como uma cidade invadida e dominada por um exército de demônios organizados para cumprir toda ordem de seu chefe.



JESUS PERMITIU QUE OS DEMÔNIOS ENTRASSEM  NA MANADA DE PORCOS - Mc 5.13 - Não se doma, nem se domina e nem se reforma o mal. A única cura é expulsá-lo, e isso só pela palavra do Filho de Deus.



A MANADA SE AFOGOU - Mc 5.13 - Os demônios fizeram dos porcos o que queriam fazer com o gadareno: Precipitá-lo na destruição. O mal sempre procura levar suas vítimas pelo caminho mais perto para a ruína.



TRÊS PROVAS DO ENDEMONINHADO GADARENO TER FICADO LIVRE:



(1) - ASSENTADO - Mc 5.15 - O pobre homem impelido pelo diabo, dia e noite, agora tem um lugar para descansar, sentado aos pés de Jesus.



Uma prova de o homem ser salvo é o seu desejo de ficar aos pés do Mestre e ouvir as Suas palavras - Lc 10.39.



(2) - VESTIDO - Mc 5.15 cf Lc 15.22; Is 61.10 - A pessoa salva não quer andar nua, nem seminua, como decreta a moda. Quando se converte um selvícula da África, das ilhas do Pacífico, ou de qualquer outro lugar, ele sempre quer vestir-se.



(3) - EM PERFEITO JUÍZO - Mc 5.15 - Quando uma pessoa se converte, o mundo diz que perdeu o juízo. Porém, a verdade é que, quando uma pessoa se converte, alcança o perfeito juízo. O gadareno, outrora, era louco fanático; agora, porém, é discípulo humilde.



ROGAVA-LHE QUE O DEIXASSE ESTAR COM JESUS - Mc 5.18 - É o desejo de todas as almas verdadeiramente salvas por Cristo. É o desejo do primeiro amor. Porém, o Salvador quer que todos saiam para testificar - Mc 5.19.



COMEÇOU A ANUNCIAR EM DECÁPOLIS - Mc 5.20 - O homem verdadeiramente libertado do espírito maligno é animado por outro Espírito. O ex-endemoninhado queria mostrar ao Seu Salvador a gratidão do seu coração.



Creiamos em que não há caso demasiado difícil para Jesus. Enfrentemos a legião com o nome de Cristo. Porém, não sem, primeiramente, deixar Deus dar poder à palavra por meio do Espírito Santo.




IV - CONSIDERAÇÕES FINAIS:



Os discípulos  ainda não haviam presenciado o Mestre dominando as forças da natureza, nem tampouco alguém que andava nu e vivia nos sepulcros ser devolvido ao seu convívio familiar.



Nosso Senhor sente compaixão das pessoas que necessitam do Seu socorro. Ele compungiu-se com a situação do jovem possesso por demônios, pois desejou trazê-lo de volta ao seu estado de juízo perfeito. Jesus devolveu àquele jovem para ele mesmo, para sua família e para a sociedade.



Tudo começou quando Jesus acalmou uma tempestade e libertou o endemoninhado gadareno. Em ambos os relatos, vemos as manifestações do poder e da misericórdia de nosso Senhor, que sempre procurou o bem do homem, nem que para isso fosse necessário repreender as leis físicas do Universo ou quebrar o poder de satanás.



FONTES DE CONSULTA E PESQUISA:
1)       Espada Cortante Volume Um - CPAD - Autor: Orlando S. Boyer
2)       Revista Maturidade Cristã - CPAD - 2º Trimestre de 1985 - Comentarista: Antônio Gilberto
3)       Mateus Introdução e Comentário - Editora Mundo Cristão - Autor: R. V. G. Tasker
4)  Lucas Introdução e Comentário - Editora Mundo Cristão - Leon L. Morris